Pular para o conteúdo principal

Inquietações Sobre a Democracia



É interessante como os brasileiros enchem a boca para dizer que vivem numa democracia. Mas o que isso de fato significa?

Seguem algumas inquietações:

1 - O termo democracia deve sempre ser definido no tempo e no espaço.

Quando dizemos que "vivemos numa democracia", a qual democracia nos referimos? É a democracia ateniense, onde só o homem livre tinha direitos políticos, que se está em questão?

Perceba que na Grécia antiga se falava de democracia ao mesmo tempo em que as lavouras e os palácios estavam cheios de escravos. O termo democracia na Europa no contexto da Revolução Francesa tinha um sentido completamente diferente do sentido dado ao termo na Grécia Antiga e assim por diante. Cada sociedade, que se julgava democrática, teve um conceito próprio de democracia.

2 - Faz sentido um Estado Oligárquico se definir democrático?

Se os poderes econômicos e midiáticos estão nas mãos de uns poucos, então, uma Oligarquia de fato (embora não em teoria), governa e se mantém no poder perpetuamente.

Literalmente, democracia significa "governo do povo". Mas, pode governar algo, um povo que nem ao menos sabe que e o que governa? Uma sociedade que não foi educada para o questionamento e reflexão, e que tem a opinião formada por uma mídia que informa como quer e nega-se a debater, não é nem de longe uma sociedade governada pelo povo.

3 -  Uma democracia não promove governos ditatoriais.

Os EUA declararam sua independência da Metrópole inglesa sob os ideais da revolução francesa: Igualdade, Liberdade e Fraternidade. Contudo, constitui-se em uma das nações mais racistas que o mundo já conheceu.

Além disso, financiou e apoiou golpes militares que resultaram em regimes ditatoriais por toda América Latina entre as décadas de 50 e 80 do séc. XX.

Igualmente no Oriente Médio, apoiou genocídas, invadiu nações e patrocinou regimes anti-democráticos, em nome do controle do petróleo, e monopólio do fornecimento de armamentos.

Ninguém contribuiu mais para consolidação de regimes autoritários quanto a "democracia" norte-americana.

4 - Direito de Expressão não é sinônimo de possibilidade de transformação social.

Poder dizer o quiser não é suficiente para tornar um país em um Estado democrático. No Brasil, por exemplo, pode-se falar o que quiser sobre a Educação Pública. É permitido organizar protestos, passeatas, greves e boicotes em favor da Educação. Mas isso não significa necessariamente que o povo tenha alguma influência nos rumos da educação no país.

Não se pode confundir direito de expressão com democracia. Numa democracia há direito de expressão, entretanto a democracia não consiste nisto. Ela consiste no governo do povo. Permissão para falar não implica possibilidade de transformar.

5 - Direito de votar associado com patrocínio privado de campanha e baixo nível educacional favorece à permanência de Oligarquias no poder.

Democracia não consiste no direito de votar. Escolher os rumos da nação vai muito além do que digitar números numa urna.

Para escolher de fato, é necessário conhecer igualmente todas as opções. Contudo, a divulgação dos canditatos e partidos é patrocinada por poderes econômicos de forma desigual. Isso faz com que alguns candidatos sejam amplamente divulgados na mídia, por meio de cartazes, carros de som e panfletos {que por vezes emporcalham a cidade}, enquanto que outros candidatos não são conhecidos pela maioria.

Além disso, para escolher de fato, é preciso ter habilidade de interpretar textos e refletir sobre discursos; é necessário conhecer minimamente a história e características geográficas, econômicas, sociais e culturais do país. Ou seja, para que democracia, é necessário que todo o povo seja educado para pesquisar, refletir, discordar, analisar e construir a própria opinião.

6 - Conclusão

Penso que o Brasil passa por um estado de euforia democrática completamente ilusório e entorpecedor.

No que diz respeito a democracia no Brasil, há muito mais para se construir e consolidar do que para se comemorar.

É certo que o Brasil tem muitos problemas a serem enfrentados, como a corrupção e a questão da distribuição da terra. Contudo, meu palpite é que devemos começar pela Educação, que é o maior entrave para o florescimento social e econômico que o Brasil precisa e merece.