21.5.13

Educação Privada e Idoneidade - Parte I

Inicío aqui uma série de 8 postagens que analisarão aspectos que apontam para a (não) idoneidade de escolas particulares.

Primeiramente, gostaria de ressaltar que é necessário uma concessão pública que para se abrir uma escola . Ou seja, os "donos" das instituições privadas não podem pensar em termos de "a escola é minha e faço dela o que eu quiser". A escola deve servir à comunidade em que está inserida.

Uma escola é constituída necessariamente por uma comunidade de professores e estudantes. Toda comunidade deve participar das decisões políticas da instituição, seja ela administrada pelo poder público ou pelo capital.

O primeiro aspecto a ser analisado é a relação entre o valor cobrado nas mensalidades, e o salário pago aos professores.

Creio que todos hão de concordar que uma escola que tem condições financeiras de, com muita tranquilidade, pagar um determinado salário para seus docentes, e deliberadamente paga um salário muito menor, prioriza o lucro em detrimento da qualidade da educação.

Pensemos numa escola hipotética. Ela tem em média 35 alunos por sala e cobra uma mensalidade de 800,00 Reais. Além disso, essa escola paga ao professor 30 reais por cada aula ministrada.

(800,00 reais) X (30 alunos por sala) = 28.00,00 reais por sala

 Desta forma, uma única sala rende para a escola o montante de 28 mil reais.

Passemos a calcular quanto custa uma sala para a escola se considerarmos apenas o salário dos professores. O custo é dado pelo produto do número de aulas semanais,  pelo valor da hora-aula paga ao professor, vezes 4,5 semanas por mês.

Assim, o custo da sala em questão é de:

 (30 aulas) X (30 reais) X (4,5) = 4050 reais

O saldo positivo de uma única sala é de:

(28.000,00 reais) - (4.050,00 reais) = 23.950,00 reais. 

É óbvio que a escola tem outros gastos como água, luz, iptu, imposto de renda, 13° salários e férias, salário dos funcionários, manutenção, etc... Todavia a conta vale para destacar que em muitíssimos casos como desta escola hipotética, apenas 5 alunos pagam os ordenados de seus professores. 

Veja o leitor que uma fatia considerável das escolas particulares funcionam com mais de 30 alunos por sala e pagam pela hora-aula bem menos dos trinta reais propostos aqui.


Esta relação não deve ser tomada isoladamente para apontar se uma escola é idônea ou não. Contudo, somada a outros aspectos que serão apresentados nos próximos artigos, a relação é um forte indicativo da natureza das motivações das instituições privadas de educação em operação no país.