26.10.11

Iraque: Jamais Esquecerei - Parte 3



Em Março de 2003, EUA e Inglaterra iniciaram a ofensiva contra o Iraque. O Iraque foi enfraquecido por anos através por um bloqueio econômico (semelhante ao imposto à Cuba desde os tempos da Guerra Fria).

Isso denota que essa guerra não deve ser interpretada como uma ação isolada de um presidente maluco. Não tem (somente) a ver com o governo Bush, mas sim com a política de Estado dessas nações: O imperialismo.

O terrorismo é dessa vez a justificativa da política bélica dos EUA. Contudo, se os atentados de 11 de Setembro não tivessem ocorrido, cedo ou tarde o Iraque seria invadido da mesma forma.

Sem o consentimento ou apoio da ONU, a tal "Coalisão" invadiu o Iraque e lá mantem forças militares há 8 anos. A ONU É A MAIOR PIADA DO INÍCIO DO SÉCULO XXI GRAÇAS AOS EUA.

Os Estados Unidos derrubaram o governo Sadam e agora conspiram para a formação de um governo de marionetes. Cabe lembrar que a ditadura que fora derrubada foi apoiada anteriormente pelo governo Americano.

A estabilidade desse novo governo não durará muito tempo. Ao mesmo tempo em que as crianças mutiladas crescerão e repudiarão qualquer forma de submissão ao ocidente, os olhos das marionetes ganharão vida diante das cifras do petróleo, gerando um novo rompimento, que resultará em um novo embargo econômico, novas invasões e mais mutilações e mortes. A ONU será enxovalhada novamente e a roda do imperialismo continuará a girar até que mudanças profundas aconteçam!

22.10.11

Iraque: Jamais Esquecerei - Parte 2

Numa entrevista dada a emissora RLT em 30 de Julho de 2005, o ex-presidente dos EUA George W. Bush declarou:

"Acho que o Iraque está em melhor situação do que estava com Saddam Hussein". G.W.Bush

Está declaração foi dada pelo ex-presidente quando foi indagado sobre as tais armas de destruição em massa que nunca foram encontradas.

Não quero nesta postagem fazer um balanço sobre a situação do povo iraquiano após a queda de Sadam Hussein. Contudo, quero ressaltar que a história recente dos países árabes mostrou que a intervenção ocidental não é a melhor maneira de derrubar uma ditadura.

Se, ao invés de invadir militarmente o Iraque, os EUA tivessem suspendido o embargo econômico e feito uma invasão humanitária, com hospitais, creches, escolas, profissionais de saúde e educação, orfanatos, asilos, etc..., provavelmente o próprio povo iraquiano floreceria com Primavera Árabe e derrubaria o ditador.

É claro que isso não aconteceu. E por quê? Seria possível controlar o petróleo e transformar o país em mais uma base militar se Sadam Hussein fosse deposto pelo próprio povo?

Iraque "está melhor" para quem?

Quando esse senhor será julgado?

Iraque: Jamais Esquecerei - Parte 1

Para refrescar a memória:

Os EUA imporam um embargo econômico ao Iraque que perdurou anos, levando o país cada vez mais à miséria.


Após os atentados de 11 de Setembro em 2001 os EUA invadiram o Afeganistão e pouco depois o Iraque. A invasão do Afeganistão foi baseada na hipótese de que Osama Bin Laden estivesse escondido no país. Mas o Iraque foi invadido por qual razão mesmo? O que tem a ver o Iraque com o 11 de Setembro?

O Sr. Bush alardeou que o Iraque possuia armas de destruição em massa e que o ditador Sadam Hussein representava uma ameaça a segurança dos EUA(?).

O fato é que as tais armas de destruição em massa nunca apareceram, e os EUA, desde o princípio da invasão, exploram intensivamente o petróleo iraquiano.

Por conta disso, aproveitando que a mídia volta suas lentes para o mundo árabe, nos próximo 30 dias postarei fotos de crianças iraquianas afetadas de alguma forma pela guerra.