Pular para o conteúdo principal

Infernos Fiscais

Já se perguntou onde Osama Bin Laden guardou os milhões investidos nos ataques de 2001? Como ele movimentou o dinheiro que financiou todo o plano terrorista? Após os ataques de 11 de Setembro os EUA, mesmo sem o consenso da ONU, invadiu o Afeganistão, numa ação que eles denominarão "Guerra contra o Terror".

Se fala muito de guerra contra o tráfico de armas e o tráfico de drogas no mundo inteiro. Mas você acredita mesmo que o dinheiro do tráfico é guardado embaixo do colchão? Os traficantes comandam guerrilhas urbanas em todo o terceiro mundo, e compram serviços de telefonia e telecomunicações, traficam influência, corrompem autoridades, compram veículos, passagens aéreas, propriedades imobiliárias entre muitas outras coisas. Mas como eles movimentam tanto dinheiro? Será em maletinhas pretas do tipo dos filmes da máfia?

No Brasil, semanalmente aparece um novo casa de corrupção milionária. Juízes, senadores, deputados, prefeitos, delegados, coronéis, governadores, empreiteiras, esquemas de licitações fraudulentas, desvio de verbas de creches e escolas... Contudo, uma fatia substancial do dinheiro geralmente não é localizado. Porém, quando é localizado, ouvimos falar daqueles pequenos países, monarquias, estados independentes, ilhas conhecidos como "paraísos fiscais".

Um paraíso fiscal é um Estado em que a lei facilita a aplicação de capitais de origem desconhecida, protegendo a identidade dos proprietários desse dinheiro, ao garantirem o sigilo bancário absoluto. Em outras palavras, qualquer dinheiro é bem vindo, e não será feita nenhuma pergunta da procedência dos valores.

Se perguntassem numa conferência das Nações Unidas quem gostaria de ver o fim do terrorismo, das drogas, do tráfico ilegal de armamentos, da corrupção, até as cadeiras do salão levantariam os braços. Mas, se perguntarmos aos chefes de Estado se eles gostariam de acabar com os paraísos fiscais, ouviríamos uma orquestra de assobios e uma multidão de olhares furtivos procurando coisinhas pequenas pelo chão.

É hipocrisia e burrice política falar de guerra ao terrorismo, ao tráfico, desmatamento ilegal, prostituição infantil, trabalho escravo e toda sorte de ilegalidade sem propor uma ação urgente para terminar com a ação criminosa dos paraísos fiscais, que têm feito do mundo um verdadeiro Hades que caminha freneticamente para o fim.